felicidade

e eis que chega 2017, e com o novo ano, sempre a esperança de uma nova vida, uma vida que não tem necessariamente de ser a trabalhar para pagar as contas e depois morrer. com este ano que agora começa, inicia-se também um ciclo de trinta e seis anos sob a regência de saturno. como em tudo na vida também o tempo se rege por ciclos, sejam eles noite/dia/noite; outono/inverno/primavera/verão/outono, etc. no campo da astrologia o mundo é regido por períodos de 36 anos. tudo na vida tem um início, um meio e um fim, que se traduz num novo começo.
o ciclo que agora se inicia e que ao ser regido por saturno, faz com que assistamos a um período de questionamentos sobre o sistema do governo e a forma como este é gerido, podendo mesmo assistir a grandes mudanças governamentais. entramos também num período de austeridade, de responsabilização e de compromisso para com o próprio, numa busca pela felicidade interior, deixando de lado o materialismo que nos trouxe o sol, que regeu o período passado. temos neste período e em oposição à ostentação do passado, uma busca pela contenção e obediência a uma sabedoria superior mais sublime e espiritual. renúncia ao material e seriedade do ser humano, essas são as prerrogativas de saturno.
é agora que devemos manter a nossa perseverança e lutar por aquilo em que na realidade acreditamos. o crescimento interior advém da luta em prol dos nossos ideais, das nossas convicções. o verdadeiro segredo da tua felicidade reside em ti, reside na capacidade que tens de fechar a boca e não contares nada da tua vida. que importa ter um iphone de última geração se não se tem pão na mesa. a ostentação dos bens materiais, dos bens terrenos, jamais levará à felicidade, à verdadeira felicidade. para muitos de nós importa ostentar uma vida que não temos nem conseguimos manter, apenas para sermos integrados num tipo de sociedade que não existe, pois é efémera. assim como a inveja é perigosa, também o é a capacidade do ser humano achar que chegou a algum pódio e ser aplaudido. essa felicidade é uma quimera sustentada por aqueles que vivem uma vida atrás de uma máscara onde são capazes de tudo, tudo menos encarar a vida e ser felizes. que felicidade obtiveste hoje com a fotografia que colocaste no instagram??? que felicidade obterias se ao invés ajudasses os mais necessitados, nem que fosse com uma simples palavra de amor e afecto. quais os valores que comportam a tua felicidade? ter um carro xpto, um smartphone de última geração???
deixo-vos aqui uma meta para este ano: ficar em silêncio. meditar no verdadeiro, no derradeiro significado do que é a vida. como já atrás o disse e volto a repetir, não contes a tua vida para ninguém e sê feliz.
ser feliz é uma escolha. mais dia menos dia teremos de enfrentar os nossos demónios, de dizer não só porque o sim nos trazia aborrecimentos, de negar alguma coisa, de nos alhearmos das lágrimas de crocodilo daqueles que se fazem de coitados para nos magoar e obter de nós aquilo pelo qual não sabem lutar nem dar valor. a verdade liberta-nos, garante a nossa sobrevivência e a nossa felicidade.
viver em sociedade é complicado e requer um exercício contínuo de tolerância para não sermos levados à demência, um desgaste inútil com base em valores que não são os nossos. ao nosso redor vivem pessoas que pensam, agem de forma diferente de nós, não olhando a meios para atingir os fins. tenta manter a calma, respira fundo, sê gentil para contigo e para com os outros, tentando nunca os machucar e acima de tudo cobre-os com o teu amor, pois o amor falará sempre mais alto que qualquer arrogância. a felicidade está em ti, não abras mão dela.

“a mais profunda forma de desespero é escolher ser outro que não si mesmo.”
— soren kierkegaard (1813-1855)

Download PDF
gostas? então partilhaShare on Facebook
Facebook
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Buffer this page
Buffer
Email this to someone
email

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.