Sem regresso aqui

AGORA

que partiste a explorar o deserto e eu fiquei só

AGORA

que partiste em procura do rapaz de preto

Sento-me

neste quarto

onde só

me restam paredes,

e oiço o tráfego

lá fora

O teu fantasma

imagem de um outro tempo

persegue-me por todos os lados

Deixa-me num sono profundo

Deixa-me

para poder escrever poesia

e libertar as pessoas dos seus limites

Já agora

atravessa para o outro lado

transpõe a porta

o Patrão espera-te.

Não te resta muito tempo que a viagem é longa.

Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença:
Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Portugal.

Download PDF

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.